This post is sponsored by VMware. Learn about VMware virtualization and cloud solutions for small & mid-size business visit info.vmware.com



This article is available in other languages:

Germany Porque é que o seu plano de recuperação de desastres não é suficienteFrance Porque é que o seu plano de recuperação de desastres não é suficienteChina Porque é que o seu plano de recuperação de desastres não é suficienteNetherlands Porque é que o seu plano de recuperação de desastres não é suficienteEngland Porque é que o seu plano de recuperação de desastres não é suficientePortugal Porque é que o seu plano de recuperação de desastres não é suficiente

Planeou para todas as possibilidade. Os seus sistemas são totalmente redundantes e automatizados. Estão prontos para failover quando algo acontecer. E então acontece. Um terramoto de 7,1 nivela a cidade onde vive. Os sistemas da empresa aparecem no Amazon EC2 automaticamente graças a uma magia com o produto RD que escolheu. O seu plano de Recuperação de Desastres funcionou.

Excepto. Há um problema. Ninguém vai trabalhar no sistema. Estão todos a tentar encontrar as suas famílias. O escritório desapareceu e não há onde trabalhar. Mesmo que tentasse não conseguiria obter energia eléctrica ou uma ligação à internet e a rede 3G está completamente entupida. Não consegue sequer entrar em contacto com a sua equipa.

A realidade é que muitas organizações de IT parecem pensar que um plano de Recuperação de Desastres é algo que é o mesmo que um plano de Continuidade de Negócios, e que deve ser deixado para os tipos do IT construirem, e que o “Big One” é algo do folclore, mas é mais fundamental do que isso. O negócio em si, na verdade, precisa de fazer mudanças e planos para um evento como tal. Um plano de RD abrange os processos à volta de trazer de volta os seus sistemas, mas não cobre o factor humano na equação. É aí que um plano de Continuidade de Negócios vem, e é frequentemente ignorado.

Muitas empresas que encontramos têm uma equipa de infra-estrutura a quem foi dada a tarefa de construção de um sistema resistente contra desastres, e têm feito isso usando as ferramentas que são anunciados para tal, e funcionam como anunciado na caixa. A nuvem (como o EC2 ou Azure) faz o lado de IT da RD ainda mais fácil, mas não resolve todos os problemas. Eles têm o Plano de IT, mas não muito mais. É provável que a gestão das suas organizações não tenha, na verdade, pensado sobre uma situação extrema o suficiente para que ninguém vá trabalhar num desastre porque há coisas mais importantes na sua vida, como a família.

Deixe-me clarear algo: Continuidade de Negócios não é um problema de IT. É um problema da empresa inteira. Já lhe deve ter sido dada a tarefa de construir um sistema de RD, mas agora, deve consider da sua responsabilidade fazer a gestão consciente das outras coisas que precisam de tratar, caso contrário, o sistema será o culpado quando “falhar” porque ninguém estava lá para trabalhar nele.

Precisam de planear quem é que vai executar os seus sistemas, enquanto a sua cidade está fora de acção. Quem é vai correr a folha de pagamento? Quem é que vai responder a perguntas no seu site? Onde é que a sua equipa vai trabalhar? Já considerou onde é que vai arranjar os PCs para manter o trabalho?

Se tem um centro de dados espelhado num local separado, é óptimo, mas pode querer
considerar a obtenção de um escritório lá também, e pessoal adicional no local que pode funcionar quando a sua equipa principal não é capaz.

O custo pode parecer extraordinariamente alto, mas se a empresa precisa de continuar a funcionar, e a fazer dinheiro (como a maioria das empresas) não deveria importar. A maioria das organizações são ignorantes quando se trata de Continuidade de Negócios, assumindo que é pouco provável que um “grande evento” aconteça com eles, logo não planeiam para a eventualidade, ou planeiam apenas para o mínimo possivel, ignorando o factor humano na equação. O IT é tão importante para as empresas hoje, por isso é tolice supor que o negócio poderia recuperar sem planeamento adequado.

Eu não estou a sugerir que, como o tipo do IT da sua empresa, seja agora responsável pelo
desenvolvimento de um plano de Continuidade de Negócios para as equipas Financeiras ou de RH, mas é agora responsável por fazer os outros conscientes do que precisam fazer. Tome a iniciativa ou é provável que mais ninguém o faça.